Teo Guerreiros Sem Armas 2011


12 – Melhorar uma comunidade
julho 16, 2010, 3:53 am
Filed under: Uncategorized

Bem, essa talvez seja uma tarefa que eu já esteja pensando há algum tempo em como fazer e já iniciei o caminho para realiza-la inclusive. Quando conheci e tive a oportunidade de participar do Movimento Oasis eu estava prestes a começar a faculdade, em meados de 2009. O aprendizado pelo qual passei naqueles dias em Santa Catarina, as transformações no meu pensamento e sentimento, a forma de enxergar os problemas do mundo e a forma de resolve-los, minha concepção de quem sou no mundo, em relação a aos meus amigos, a minha família, a minha cidade, ao meu país e a minha relação com todo o mundo e também comigo mesmo, forma repensadas, foram reavaliadas, revistas e sem dúvidas o Teo que voltou de lá era alguém completamente diferente. Alguém que buscava sua melhor versão, que entendia a diferença que faz apropriar-se de coisas simples mas absolutamente poderosas como a Comunicação Não Violenta, o Afeto, Calor Humano, a possibilidade de realizar grandes transformações sem a necessidade de organizar pessoas em hierarquias ou de depender do dinheiro para fazer um projeto se tornar verdade, e ainda, descobri o quanto de potencial há escondido (e em flagrante evidência) pelos mais remotos cantões que se possa procurar. Enfim foi uma experiência sem qualquer paralelo na minha vida. E que modificou, para muito melhor, a minha maneira de me comportar, de ser e estar no mundo, de pensar e sobre as próximas decisões que precisarei tomar.

Passado esse momento mágico e de profunda transformação e descobrimentos, entrei na faculdade. Voltei pro Rio, começei o curso de Relações Internacionais que é o curso mais concorrido na faculdade que foi considerada pelo ENADE a melhor instituição privada do país e a terceira melhor na classificação geral, algo que promove uma expectativa enorme em alguém que está dando os primeiros passos nesse novo universo, principalmente depois de tanto ter treinado seu Olha Apreciativo e perceber a força que pode ter quando um grupo de pessoas decide não mais esperar para que outros façam aquilo que deseja-se fazer e ergue as mangas para suar a camisa e por a Mão na Massa para fazer realidade transformações sonhadas coletivamente.

A excelência da universidade pode ser notada nos menores detalhes. Mas o comportamento desinteressado, sem comprometimento, sem estímulo, sem vida, sem gosto, sem força de muitos dos meus colegas, não apenas do meu curso mas no geral dos universitários, e igualmente não só da minha faculdade como de muitas outras, me inquietou de tal forma que não pude deixar de sonhar em levar até eles o que eu havia vivido recentemente no Oasis Santa Catarina. Aquela forma de unir um grupo em torno de um objetivo comum, e que para realizá-lo propunha uma metodologia que atenta para exigências humanas a fim de causar um profundo e positivo impacto nas pessoas que se permitirem experimentá~la, me instigou a levar para minha universidade o que o encantável guerreiro Shima fez quando levou a essência do que é o Oasis para os alunos univeritários de Belo Horizonte e de Santos com o Oasis Anima.

Aquele projeto ressoou desejos em mim que me motivaram a procurar alguém que representasse a universidade e que pudesse ouvir a proposta que eu trazia comigo. Consegui entrar em contato com uma pessoa da Vice-Reitoria e consegui marcar um encontro com ela. Apresentei o Movimento Oasis, a proposta, o jogo, o formato de como poderíamos adaptá-lo e aplicá-lo  fazendo meus colegas viverem suas próprias transformações pessoais a partir da experiência de viver um Oasis e de como seus próprios impulsos podem levá-los a fazer a mesma propostas para outras comunidades em quaisquer esferas de suas vidas. Ela se interessou pela proposta e gostou muito da idéia de fazer tudo isso através de um jogo. Então comentei com o Shima que estava tentando essa aproximação, acho que a forma como eles fizeram o Oasis Anima se tornar uma realidade pode ajudar e muito a levar isso para mais uma experiência de sucesso, agora em novos ares. Isso é pra mim agora não uma possibilidade, mas um desafio real ao qual proponho a mim mesmo. Levar ao conhecimento do corpo administrativo e coordenador da minha universidade o Movimento Oasis, e lançar dentro do nosso meio universitário esse desafio a mais muitas outras pessoas. Acho que seja totalmente possível esse casamento, eles se mostraram interessados e a fim de saber mais, de ter mais informações. Mas meu tempo e limite de estudante que se divide entre as aulas e a dona de casa de si próprio, além de ter que ser filho de famílias que moram distantes e amigo de amigos que vivem espalhados por essa enorme cidade e país não fazem dessa tarefa algo fácil. Ciente de que talvez seja essa uma oportunidade única, a de apresentar essa proposta para a PUC-Rio e torná-la uma palpável realidade, pois se não for uma apresentação bem preparada e bem feita, talvez esse grande Oasis corra o risco de não vir a acontecer somente por não ter sido bem esclarecido nos momentos em que isso é necessário. Assim venho devagar e aos poucos juntando os pedaços do que é de fato isso que chamamos de Oasis (tão mais complexo de se explicar do que de se viver) e juntando os “porquês” que levariam o universidade a abraçar essa idéia. Enfim, vejo essa como uma oportunidade magnífica, mas única, na qual não se pode deixar equivocar-se pelo calor do momento e cuidar para que cada passo seja dado da sua melhor maneira e no seu tempo adequado.

Não gosto de escrever esses posts tão grande, apesar de não conseguir evitar isso, por outra penso que talvez ainda faltem muitos versos para explicar o que desejo, o que imagino e o que vejo pelos caminhos a se trilhar a frente. Termino aqui por agora. Acho que hoje, é esse o meu desejo maior eleito que quero ver se tornar verdade, apesar de aqui no Rio terem se abertos várias portas para diferentes caminhos nos quais poderei plantar sementes de Oasis, o que me faria muito realizado, acho que essa seria uma forma muito significativa de concretizar isso. Espero que também esses outros aparentes caminhos venham a brotar Oasis pelo Rio de Janeiro e Mundo a fora.

De uma maneira própria e deliciosamente admirável esses outros caminhos paralelos vem conspirando a favor de construir um belo Movimento Oasis Rio, grandes empreeendedores sociais de ONG’s E OSCIP’s com históricos de sucesso na atuação em comunidades carentes e articuladores de movimentos sociais de alto impacto vem se aproximando a medida que falamos do Oasis. Como já disse fazer parte dessa indefinível e ilimitada rede me leva a lugares e a agir com uma vontade e sensibilidade tal que é incansável minha identificação com o que venho conhecendo e reconhecendo como o meu caminho. O caminho que quero pra mim, para ser meu, mas não sem ser também teu, mas não sem ser vosso, não sem ser de tal maneira que seja múltiplo e plural. De maneira que seja até irreconhecível por tamanha diversidade e que ainda assim o identifiquemos como nosso.

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

Oi Teo, nossa, quanta motivação. Tem razão é uma grande tarefa para fazer no meio de tanta coisa que precisa ser feita… Ainda bem que você não está sozinho… e isso vai começar a fazer diferença quando você finalizar a tarefa seguinte: junte a comunidade, acesse a rede… Você já conhece esse poder. Abraço,

Val

Comentário por Val Rocha




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: